Voltei…Vamos falar sobre a Alice, fenda palatina e muito amor!

Olá!

Sei que fiquei muito tempo afastada, as coisas foram acontecendo ao meu redor e eu me perdendo junto, comecei há dois anos e pouco falando sobre a minha segunda gestação, que foi maravilhosa e dentro da normalidade esperada! Alice nasceu um pouco antes do esperado, no dia 23/04/2015. Foi um parto considerado tranquilo, com boas notas no nascimento, apenas me assustei quando o obstetra se sentou ao meu lado ( eu ainda deitada na sala cirúrgica) e deu aquela respirada e me disse: Mãe, tem um “probleminha”, posso afirmar pra vocês, que nos segundos seguintes eu pensei mil coisas e nada eram boas, mas assim que ele falou que Alice tinha uma pequena má formação, meu coração ainda acelerado e meus olhos perguntavam por mim e ele me respondeu que ela havia nascido com fenda palatina, juro por Deus que me aquietei e me acalmei, pelo fato de eu ter pensado coisas bem ruins, essa má formação não me pareceu ruim, acho que meu instinto de mãe me avisou que eu daria conta e que eu iria aprender muito!

Naquele momento, só consegui perguntar: Ela está bem? E logo depois: O que é fenda palatina?

Sim, eu não tinha ideia do que significa essa má formação, quando o médico me falou sobre lábio leporino, fui assimilando, mas Alice não tem fissura no lábio, só palato, a ficha foi caindo aos poucos e logo passei pelo primeiro sufoco… Alice não conseguia mamar, foi tentado o copinho, ela se afogava e a pediatra trouxe uma “chuquinha” e aí ela pode se alimentar, tentamos por no seio, mas a fenda dela a impedia de sugar, chorava ela, chorava eu e lá os meus planos de amamentar iam por água abaixo, tentamos a ordenha, era o meu leite, mas não da forma que eu queria dar a ela, fomos nos conhecendo, nos adaptando, passamos pelos afogamentos com leite, foram 4, destes, o último foi traumatizante, com tanto surto emocional o meu leite foi acabando e me sentindo uma mãe fraca, como posso falhar justamente nisso?

Descobri que falta ainda muita informação, existe muito mais sobre quem é fissurado de lábio e palato, do que só do palato, o Dr. Google é cruel, as informações não são tão animadoras, ainda bem que desde o pós parto, ainda no hospital, recebi um atendimento especial da pediatra do nascimento que entrou em contato com o Niaf (Núcleo Integrado de Atendimento ao Fissurado de Blumenau) e elas vieram me visitar e dessa visita, já saímos com uma consulta marcada, fomos na consulta e nessa consulta estavam pais cheios de dúvidas e ansiosos, o que fazer? Como fazer? e quando operar? Fomos encaminhados para o Centrinho de Joinville, Alice com 18 dias e nós perdidos rsrs, mas, posso dizer com todo o meu coração que foi ma-ra-vi-lho-so essa visita, todas as minhas dúvidas foram sanadas, o amor estava presente a cada consulta, foram 7 numa manhã, conhecemos a estrutura e sentimos confiança pela primeira vez na recuperação da nossa princesa. Os profissionais são excelentes e tem aquele plus a mais, eles atendem com amor, dedicação, se preocupam, olham todos os detalhes, ficam a disposição para dúvidas, eu sou apaixonada pela equipe e lá conheci outras mães e pais que viviam a mesma realidade que nós estávamos vivendo e vimos crianças maiores, alegres, brincando e com sorrisos lindos e cativantes, fomos encorajados a acreditar mais na nossa pequena, que logo ela estaria ali, com as outras crianças, se desenvolvendo normalmente!

Você deve estar pensando, por que ela demorou tanto para fazer esse relato?  Já faz dois anos e poucos que não escrevo, não tenho problema algum em falar da fenda palatina, mas sempre acontecia algo que fazia com que eu adiasse esse depoimento, coisas do dia  a dia mesmo e das situações que às vezes faziam com que eu não tivesse vontade de relatar nada… mas hoje resolvi que era o dia!

Alice tem 1 ano e 6 meses, estamos na espera da cirurgia, que ja foi agendada duas vezes, mas que por motivo de saúde dela, tivemos que cancelar, a criança precisa estar bem e nossa pequena, devido à mudanças climáticas fica um pouco gripada, tosse e otites o que dificulta a situação.

Mas não se enganem que ela é uma menina quietinha, triste e que vive doente, Alice é uma guerreira linda, sempre sorrindo, brincando e correndo muitooo pela casa, ela tem paixão em acompanhar tudo que o irmão mais velho faz, ele é o herói dela e sou suspeita em dizer, mas eles são lindos juntos, Vinícius a acompanha, ensina e brinca com ela, ele participa do tratamento e conta para todos que vai ensiná-la a falar corretamente kkk, ele tem 4 anos e de fato, tem uma fala muito boa, optamos por incluí-lo, ele ja foi no centrinho, brincou com outras crianças fissuradas, aprendeu muito sobre o assunto e o mais legal que ele dissemina essa informação de um jeito melhor do que eu faria… somos orgulhosos do nosso primogênito!!

Alice ainda não consegue pronunciar as palavras, mas vemos seu esforço e mesmo do jeito dela, ela se comunica, é excelente em mostrar o que quer, determinada e muito inteligente, sei que após as cirurgia e os trabalhos com o apoio dos profissionais, ela irá falar bem e até pelos cotovelos, se puxar a mãe e o irmão então, nem se fala…

Bem, era pra ser um curto relato, espero que tenham chegado até aqui  e que de alguma forma eu possa ter contribuído, quero muito poder ajudar, assim como também recebi ajuda, ele foi fundamental para seguirmos em frente!

montagem-blog

Amores da mamãe!

Abaixo mais informações sobre o assunto:

Baby Center

A saúde em pauta

Wikipédia

Blog: A fissuradas – Esse blog é inspirador e tem página no facebook também.